A evolução do e-mail marketing

O e-mail marketing é uma das principais ferramentas do comércio eletrônico (e-commerce) e, embora algumas empresas reconheçam seu potencial e insistam em utilizá-la, estão enfrentando problemas em desenvolvê-la.

O motivo é que não estão conseguindo assimilar as necessidades dos consumidores, ou melhor, das pessoas – está aí uma diferença fundamental que precisariam entender.

A questão é a elaboração de uma comunicação que esteja focada em pessoas, não em ‘público-alvo’ ou ‘consumidor’. Estou falando em relacionamento, em tratar cada um que irá receber o e-mail marketing (seja ele de que tipo for) como único. A venda seria uma conseqüência.

É aí que muitas empresas dançam, porque isso lhes parece absurdo. Por outro lado, as empresas que estão conseguindo acompanhar as tendências na comunicação e fazendo seu e-mail marketing vencedor, estão investindo em target virtual.

Elas compram de empresas especializadas nesse serviço, listas de contatos para as quais enviarão pedidos de aceitação de e-mail.

É bem verdade que essas listas não possuem um preço baixo e que esse tipo de estratégia, na verdade, já era de conhecimento de muitas. Mas o fato é que agora, aquelas empresas interessadas em tornar seu e-mail marketing eficiente não estão agindo de outra forma.

A busca do investimento é por um fator indispensável ao e-mail marketing: a relevância. As litas de target virtual fornecem contatos qualificados, ou seja, segmentados. Somente considerando a relevância do conteúdo do e-mail para os destinatários é que se poderá obter resultados.

Então você envia informações atualizadas, oportunidades, dicas, artigos falando de novidades, não mais só aquele tradicional e irritante ‘compre este produto!’.

Muitas vezes isso se torna até ofensivo e, com certeza, mina a possibilidade do destinatário se sentir uma pessoa única, importante e respeitada.

No início, a preocupação com o e-mail marketing era apenas a de ele ser entregue ao maior número de contatos possível. Hoje isso é passado, sabemos que não gera feedback e que o envio para destinatários desinteressados no seu produto ou serviço só prejudica a empresa.

Mas e você, o que considera um bom e-mail marketing? Afinal, é tua opinião que importa…